Sexta Edição da Outro Estilo nas bancas

Edição #6 da Outro Estilo

Já está nas ruas a sexta edição da Revista Outro Estilo. Comportamento, lifestyle, música, moda, arte, consumo, tendências e ideias. Muitas ideias: livres, independentes e criativas.

Parafraseando o editorial, “as três principais faixas desse sexto álbum” da Outro Estilo são: um entrevistão com o multiartista Lourenço Mutarelli, no qual ele relembra os tempos difíceis dos quadrinhos, da virada por cima com a literatura e revela detalhes da sua vida pessoal, manias e preferências; um artigo e um ensaio fotográfico sobre a Cultura Lowrider no Brasil; e um perfil caprichado da cantora Lívia Cruz, a nova voz feminina do rap.

A música segue dando o tom numa entrevista exclusiva com a banda norteamericana Superchunk, um dos grandes nomes do cenário alternativo dos anos 90. Outra figura emblemática da música alternativa, o incansável Boom Boom Kid (ex-Fun People), elege os 6 discos fundamentais do punk argentino. Caminhando pela Lapa carioca, o jornalista Endrigo Chiri Braz traz um relato bem humorado do evento Converse Block Party, que levou música, arte e skate para o reduto boêmio do Rio de Janeiro (e, de quebra, o leitor ainda leva um fanzine mostrando os highlights do evento).
Na seção Preferências, o casal do Leela, Bianca Jhordão e Rodrigo Brandão. O ensaio Linha de Frente mostra alguns dos hostess da noite paulistana. E a matéria Licença Para Seduzir apresenta o estilo de vida de Carla Elektra e Jéssica Gabrielovna, que são praticantes do Pole Dance. E ainda tem muito mais: ensaio de moda, fotos da noite de São Paulo, sneakers, o lançamento do livro Transfer e entrevista com o agitador cultural Pedro de Luna, que acaba de lançar seu primeiro livro, “Niterói Rock Underground (1990 – 2010)”.

E assim, a Outro Estilo virou uma banda lançando seu sexto álbum. Porque o mesmo motivo que faz pessoas se juntarem para montar acordes, melodias e letras é o que nos move para contar histórias diferentes, convidar pessoas criativas e mostrar pontos de vista paralelos. E imprimir tudo isso de maneira jovem, como um desafiador Rock and Roll. Não é uma bela música clássica: na OE nada é belo, é outra coisa, é “estiloso”, sem perder a inteligência.



Postado em Blog, por Elav às 18:08